Periodontologia

A doença periodontal consiste numa inflamação ou infeção da boca, que afeta as gengivas e o osso que suporta os dentes. Atualmente, esta é uma das principais causas da perda dentária.

Em geral não causa incómodos até que esteja muito avançada, passando inadvertidamente para a maioria que dela padece. Daí a importância de procurar o médico dentista logo que surja algum dos sintomas referidos a seguir.

1. Sintomas de doença periodontal

  • Sangramento das gengivas: pode acontecer ao escovar os dentes ou espontaneamente e é um dos sinais iniciais mais frequentes. Isto alerta-nos para que algo não está bem, pois as gengivas saudáveis não sangram. Se assim acontecer, quer dizer que há uma ferida em contacto com o exterior, contaminando a zona por debaixo da gengiva.
  • Retração das gengivas: com exposição das raízes dentárias.
  • Aparecimento de espaços entre os dentes.
  • Gengivas que se despegam dos dentes.
  • Mobilidade dos dentes ou deslocação dos mesmos.
  • Aparecimento de abscessos com incómodo: é indicativo de uma etapa mais avançada da doença periodontal e requer tratamento cirúrgico ou até mesmo regenerativo.
  • Mau hálito.

2. Especialidades da periodontologia

  • Raspagem e alisamento das raízes dentárias consiste numa limpeza subgengival das raízes dos dentes para remover o cálculo dentário (pedra), as bactérias e microrganismos que destroem o osso que suporta os dentes.
  • O enxerto de gengiva consiste em recolher um pouco de gengiva e colocar onde existe uma retração da mesma. Desta maneira temos uma cura e solucionamos diferentes problemas relacionados com estética e saúde oral.
  • A regeneração óssea, como o seu nome indica, consiste em repor massa óssea no maxilar, onde está em falta, devido à sua perda ao longo do tempo.
  • Uma outra especialidade da periodontologia consiste em aplicar técnicas adequadas para trabalhar o alargamento de coroa em dentes curtos, com uma simples intervenção.

3. Perguntas frequentes sobre periodontologia

Conselhos para manter as gengivas saudáveis: Escovagem dos dentes após cada refeição utilizando fio/fita dental ou escova interdental. Visitas regulares ao seu médico dentista, com uma periodicidade de 6 em 6 meses ou anualmente.

Duração da escova de dentes: Se a escova for de qualidade e se for usada de forma adequada, pode durar até 3 a 4 meses.

4. Enxerto de gengiva

Em que consiste o enxerto de gengiva?

Um enxerto de gengiva está indicado em casos em que os dentes mostram as raízes devido à retração gengival. Na maioria dos casos, é necessário recolher gengiva do palato e aplicá-la na zona em que se pretende cobrir a raiz. Trata-se de um procedimento pouco traumático, com um pós-operatório excelente, em que não existe praticamente incómodo.

Objetivo do enxerto de gengiva

O revestimento da raiz atinge múltiplas finalidades:

  • Proteger o dente com uma nova gengiva, que adere e isola a raiz do exterior.
  • Prevenir que retração da gengiva aumente e seja mais pronunciada.
  • Reduzir ou eliminar o excesso de sensibilidade.
  • Melhorar a aparência estética.

5. Gengivite

Facilmente se manifesta e é reversível quando tratada adequadamente. Afeta apenas a gengiva.

Sinais visíveis: Gengivas ligeiramente inflamadas e sangramento durante a escovagem dos dentes.

Como se trata? Com uma eliminação profissional da placa dentária acumulada e endurecida. Este procedimento tem o nome de raspagem subgengival.

6. Periodontite

Quando a gengivite evolui para um estado mais severo, que se designa por periodontite, é necessária cirurgia periodontal. E neste caso recomenda-se que o tratamento seja efetuado por um médico dentista especializado em periodontologia - Periodontologista.

Como se trata? A base do procedimento é a mesma: eliminar a placa dentária acumulada, variando a técnica conforme a dificuldade em aceder à zona contaminada.

7. Regeneracção óssea

Quando for necessário, podemos aplicar técnicas de regeneração para recuperar parte do osso perdido.

Utilizam-se materiais biocondutores com fatores de crescimento, que nos permitem regenerar o osso com resultado satisfatório quando as condições anatómicas do paciente são favoráveis.

8. Alargamento de coroa dentária

Os dentes, as gengivas e os lábios têm de estar em harmonia, e mantendo uma proporção adequada entre si para um sorriso atrativo.

pessoas que padecem de uma alteração da proporção desejada entre os dentes e as gengivas ou uma assimetria na margem gengival. Assim, considera-se sorriso gengival quando ao sorrir, se mostra mais de 3 mm de gengiva.

Existem casos em que os dentes são curtos, normalmente quadrados, com gengiva que cobre o excesso da superfície dos dentes, que podem ser corrigidos através do alargamento da coroa (gengivectomia).

Com este tratamento retornamos a altura original dos dentes e a harmonia do sorriso. O resultado é imediato.