Ortodontia mordida cruzada

A mordida cruzada é uma má oclusão em que um ou mais dentes não estão na posição correta. Dentes superiores devem encaixar por fora dos dentes inferiores, como se estivesse a fechar uma caixa (Fig. 1).

Ortodontia mordida cruzada Figura 1
Figura 1

Uma paciente oito anos veio à nossa clínica com o problema de uma mordida cruzada posterior unilateral. Os dentes, desde o canino de leite até ao primeiro molar esquerdos, estavam posicionados interiormente (Fig. 2). Esta má colocação provocou um desvio da mandíbula para a esquerda (Fig. 3).

Ortodontia mordida cruzada Figura 2
Figura 2
Ortodontia mordida cruzada Figura 3
Figura 3

O diagnóstico foi uma maxila estreita e com falta de espaço para a erupção adequada de todos os dentes (Fig. 4).

Ortodontia mordida cruzada Figura 4
Figura 4

Um dos tratamentos mais utilizados para correção ortopédica é o disjuntor transversal. É um aparelho fixo com vários desenhos de acordo com cada paciente, que permite a abertura da sutura maxilar e a correcção transversal ou largura da maxila (Fig. 4 e 5). É um dispositivo de uma fácil adaptação pelos pacientes e é normalmente activado 1 ou 2 vezes por dia até que a largura da maxila seja correcta. Uma vez que isto é conseguido, o dispositivo mantem-se como um retentor durante 6 meses.

Ortodontia mordida cruzada Figura 5
Figura 5
Ortodontia mordida cruzada Figura 6
Figura 6

No caso do nosso paciente, utilizamos um disjuntor muito confortável e dentro de um mês obteve a correção de largura (Fig. 7) e desvio mandibular. É possível ver os dentes com uma oclusão/mordida correta e centragem das linhas média superior e inferior (figura 9).

Ortodontia mordida cruzada Figura 7
Figura 7

Ortodontia mordida cruzada Figura 8.1 Antes
Figura 8.1 Antes
Ortodontia mordida cruzada Figura 8.2 Antes
Figura 8.2 Antes

Ortodontia mordida cruzada Figura 9.1 Depois
Figura 9.1 Depois
Ortodontia mordida cruzada Figura 9.2 Depois
Figura 9.2 Depois

Com este tratamento, a paciente já pode mastigar de forma correcta, equilibrada y fisiológica, sem riscos de criar disfunções ou assimetrias esqueleticas muitas vezes desenvolvidas em mordidas cruzadas não diagnósticadas ou tratadas. Além disso, ao mesmo tempo, conseguimos mais espaço na maxila para uma correcta erupção dos dentes permanentes. A paciente estava tão feliz com o seu tratamento e a equipa que nos deu uma surpresa com um presente espetacular (Fig. 10).

Para qualquer pergunta estamos à sua disposição,
Dr. Pedro Dominguez

Ortodontia mordida cruzada Figura 10
Figura 10